Bielorrússia
Intérprete(s): Helena Meraai
Tema: I Am The One



Cláudio Poiares-Rodrigues - No ESC não é dos países mais fortes, mas no JESC deita a casa abaixo e é uma das super-potências. Depois de um 2016 aquém das expetativas, a Bielorrússia volta com a carga toda com este fortíssimo “Ya Samaya”. Uma voz poderosíssima, um instrumental que, apesar de alguns clichés, é bem agradável e no final tudo faz sentido, sendo a favorita de muitos mini-fãs. Na minha opinião, arrisca-se a levar para casa um top 3, ou até uma vitória. Seja qual for o resultado, em 2018 estaremos em Minsk a celebrar os 15 anos do JESC. 

8 pontos

Dalal Midhat - A canção encaixa nas capacidades vocais da cantora e na sua voz. A canção, a produção e o vídeo são muito modernas. A letra encaixa perfeitamente e influencia a música. A cantora é muito confiante e tem uns vocais fortes.

10 pontos

Diogo Cabral - A Bielorrusia traz-nos a portentosa Helena Meraai. Gosto da canção na sua globalidade e destacaria, positivamente, o lado misterioso imposto pela canção. Contudo, ao ouvir a canção umas vezes, penso que há aqui uma clara inspiração na Olivia Garcia (Final Nacional Reino Unido 2017). Apesar disso, gosto da entrada e da sonoridade da canção. Apenas estou curioso em saber como irá ser colocada em palco. 

10 pontos

Hélder Simões - A minha grande favorita. Esta música poderia muito bem representar a Bielorrússia no ESC, e aqui está o único problema. A música é linda, a voz é potente, a mensagem passa, o videoclip é fenomenal. Pode e VAI resultar em Tiblissi. Quero esta vitória!

12 pontos

Hugo Sepúlveda - A Bielorrússia surpreendeu-me bastante este ano. É das minhas preferidas. Bastaram os primeiros segundos para despertar totalmente a minha atenção. A música é contemporânea e a voz de Helena dá-lhe um toque mais “amável”. Começa de uma forma bastante misteriosa, promissora e o que prometeu, cumpriu. A combinação da melodia quase “hipnotizante” e a língua resulta muito bem. Espero mesmo que ao vivo não desiluda e que nada falhe, quer em staging, quer vocalmente. Além disso, que o parecer “demasiado crescida” ou madura, prejudique.

12 pontos

José Carlos Godinho - Esta canção não me convence. Tem uns momentos que apelam a um ambiente mais étnico, mas depois tudo se dilui numa batucada insistente. O texto para mim é desinteressante e mais do mesmo e pouco ajustado a um público infanto-juvenil. A interpretação é boa, apoiada numa boa voz.

5 pontos

Lisa Garden - É uma música forte. A interpretação da Helena também me agrada bastante!

8 pontos

Lúcia Pérez - Muito boa intérprete com uma canção onde se dá protagonismo à voz. Mas não traz nada de novo nem original ao Festival.

6 pontos

Martin Fitch - Grande produção. Mas isto é Júnior? Não. Ultrapassaram a ideia de Eurovisão Júnior. É claro que gosto e tem um sabor fantástico, grande música, produção fantástica, tem um lado negro que gosto mas...isto não é para o Júnior. Mas, pela produção, tenho de dar 10 pontos.

10 pontos

Nuno Carrilho - É uma das minhas favoritas. Uma composição não muito habitual no formato e com um ritmo bastante viciante, se Helena Meraai estiver, vocalmente, em palco como esteve no videoclip, podemos ter a Bielorrússia a organizar o evento do certame do próximo ano... enquanto campeão em título. A melhor proposta da Bielorrússia que me lembre.

12 pontos

Nuno Reis Conceição - Uma excelente proposta, esta da Bielorrúsia, que marca pela diferença! A começar pelo visual arrojado e inovador da sua intérprete, Helena Meraai, e terminando numa canção que foge ao “mainstream”, primando pela originalidade. Conseguirá destacar-se, certamente, das demais propostas a concurso, sendo, na minha óptica, uma clara candidata à vitória (o único senão: ser uma canção “adulta” num concurso maioritariamente infanto-juvenil). 

12 pontos

Rúben Ameixa - A Bielorrúsia apresenta-se com uma canção forte. A Helena tem uma voz forte e que não passa ao lado dos nossos ouvidos. Em palco acho que podemos esperar uma boa performance em todos os sentidos. É possível que seja uma das candidatas ao top 5.

8 pontos

Wanda Stuart - Das que mais gostei, é diferente, com uma sonoridade moderna e um refrão forte. Mensagem universal, grande produção musical, um instrumental muito forte e uma intérprete original, com uma imagem exótica mas de muito bom-gosto e uma voz poderosa e cheia de personalidade.

10 pontos

Total: 118 pontos
(A pior pontuação de cada país não é contabilizada)

2 comentário(s):

  1. Apenas tem duas coisas para dizer , 12 Pontos. Bielorrussia e Russia a destacarem se completamente este ano.

    ResponderEliminar
  2. "Eu sou aquela" e eu sou aquele.Dito isto aqui vão os meus 0 pontos numa terrina de porcelana fina.

    ResponderEliminar

Especiais em Destaque

 
Top