Croácia
Intérprete(s): Franka
Tema: Crazy


André Moreira - Tentando fazer um trocadilho para disfarçar o quão negativo tenho a dizer sobre esta “Crazy”, vou começar por dizer que me é “FRANKAmente" impossível gostar disto ao ponto de lhe desejar mais do que um não apuramento. A proposta croata soa-me demasiado cliché, inacabada e genérica. Julgo que tal me atinge deste modo pela falta de “química” entre a própria canção e o timbre de Franka, deveras cansativo e desajustado à própria sonoridade. De todas as formas, tenho de dar o braço a torcer numa coisa: a canção fica na cabeça à primeira. Isso pode garantir-lhe alguns pontos, mas não me parece de modo algum possível um apuramento.

4 pontos


Cláudio Gonçalves - E eu pensava que era impossível haver uma canção mais aborrecida que “My Friend”, mas eis que a Croácia surpreende e envia uma tal de Franka (o farol croata anda apagado para os meus lados). Não vou à bola nem com a voz, nem com o instrumental, nem com a intérprete. É uma “receita para o desastre” e se passar à final, ficarei com um melão enorme para carregar. Mas a Europa pode surpreender (o Jacques manda cumprimentos) e dar a terceira presença consecutiva dos croatas na final, algo que considero totalmente injusto, pois há canções mais interessantes que esta. Finalmente gostava de dizer que calhou em sorte a semifinal 1, essa em que é praticamente impossível saber quem serão os 10 selecionados que terão uma segunda oportunidade para atuar no Altice Arena. 

1 ponto


Dalal Midhat-Talakić - Uma canção muito R&B com influências de trap, mas com alguns toques interessantes no seu decorrer... A letra e o refrão poderiam ter sido mais trabalhados.

6 pontos


Filipe Batista - O primeiro impacto que tive da música da Croácia não foi positivo, tive dificuldades em entender a sua lógica. Depois, tornou-se numa das minhas favoritas, achei que era especial por ser tão alternativa e não ter nada a ver com o resto. Penso que esse é o seu único ponto interessante, o facto de para além de muito original ser diferente de tudo o que vamos ouvir este ano – mas isso não me parece ser suficiente para a destacar numa Semifinal com tantas favoritas. Prevejo um lugar no bottom5.

7 pontos


João Diogo - “Crazy” é uma canção muito muito boa. É uma daquelas canções pop que tentam contar uma história, neste caso sobre amor. Sei que muita gente tem problemas com a parte falada da canção, mas acho que isso pode proporcionar um bom momento de televisão. Se os croatas aproveitarem bem essa parte na sua apresentação em palco, a música destacar-se-á das outras e poderá ganhar aí alguns pontos. É uma das minhas preferidas do ano, mas tenho muito receio que se fique pela semifinal.

10 pontos


João Duarte - A Croácia apresenta-nos este ano uma proposta completamente diferente da do ano passado. Uma musica contemporânea com uma sonoridade bastante atual e com uma boa produção. Gosto da maneira como a música se desenrola, com um ar misterioso e com aquelas batidas que nos faz abanar o corpo como se tivemos a ter convulsões. Penso que conseguirá a passagem á final, mas muito á justa, talvez perto do décimo lugar desta eliminatória extremamente forte.

6 pontos


Mónica Lourenço - Gosto de algumas partes da canção, mas, no final, não traz nada de novo. Não me consegui conectar e é daquelas músicas enfadonhas que custa a ouvir até ao final. Se fechar os olhos oiço uma voz Lady Gaga, e gosto da voz! O meu problema é mesmo a canção. Não gosto, não gosto, parece que veio da banda sonora de 50 sombras de grey e que é “só mais uma”.

4 pontos


Nelson Costa - Depois de duas qualificações consecutivas para a final da Eurovisão, a Croácia volta a apostar numa seleção interna. Não há dúvidas que Franka é uma artista talentosa e com muitos créditos firmados, não obstante ser ainda bastante jovem. O problema é mesmo a canção que me causa dupla sensação: a intro tem algum mistério e suspense, mas com o desenrolar da canção fico com a sensação que a canção e a interpretação não encaixam. A canção pede outra voz e a voz outra canção! Há coisas do diabo! O lado positivo é que “Crazy” proporciona inúmeras possibilidades de staging e, com isso, um excelente número de televisão. 

5 pontos


Pedro Caramba - Uma grande voz, talvez para mim uma das melhores vozes do Festival. Transmite segurança e sensualidade. Gosto da canção no geral. Estou curioso para ouvir o directo em Lisboa. Gostava muito de ver a Croácia este ano na final.

4 pontos


Total: 172 pontos

2 comentário(s):

  1. Gosto deste tema e acho que a miúda tem carisma. Só lhe aponto um pequeno senão: é que me parece já ter ouvido esta música noutros tempos. Ilusão minha? Pois não sei, por isso não afirmo categòricamenre. Dou 8 pontos e passagem à final.

    ResponderEliminar
  2. Croacia com FRAnKA... ai desculpem, chama-se Fraca, ou será franka. Seja como seja é mesmo «louca» e «fraca» a canção R&B da Croácia. Irritante levando-me á loucura casa vez que ouço «Louca». Se esse é o objetivo da Croácia então têm os meus 12 pontos. Tenho que centrar-me e apagar a «louca» música para conseguir descreve-la... Peço desculpa aos meus fans, aos meus seguidores, directores, familia.... Não consigo ... 0 pontos. Melhor vou a Fátima para que não passem á final porque como veja aquilo em directo dá-me uma coisa «louca».

    ResponderEliminar

Especiais em Destaque

 
Top