São Marino
Intérprete(s): Jessika (feat. Jenifer Brening)
Tema: Who We Are



André Moreira - “We are the heroes of our time” -  versão pobre. Oriunda do país que desperdiçou a melhor voz em finais nacionais deste ano, esta “Who We Are” é reveladora da falta de interesse em obter bons resultados, por parte de São Marino. Ainda assim, fica a intenção de São Marino, de desenvolver um formato que serve quase como um “pack Odisseias – rumo ao Eurovision”, a quem não conseguia ter sucesso em mais lado nenhum. Lamento pelo sucedido, é só o que posso dizer. Talvez último lugar da semifinal...

1 ponto


Cláudio Gonçalves - Se resumíssemos a final “nacional” de São Marino numa frase, esta seria “A montanha pariu um rato”. Não me interpretem mal, São Marino foi alvo da “Roubalheira do ano”, mas ainda assim a Jessika e a Jenifer conseguem ser melhores, MUITO melhores que as seleções internas dos últimos 3 anos juntas! Há algo ali de cliché (A “Heroes” manda saudações eurovisivas), e aqueles robôs estão ali a mais (a sério, robôs?). Ainda assim, a mensagem que São Marino quer levar, digamos, “um grito de guerra contra o bullying”, merece destaque. A semifinal em que se inserem não é assim tão forte, e poderemos ter São Marino pela segunda vez na final, mas terão que melhorar ali umas coisas. Desejo a São Marino a maior sorte do mundo. 

6 pontos


Dalal Midhat-Talakić - Bem... gostei dos robots. Já ouvimos tudo isso anteriormente... o típico hino de jovens desinspirados. A cantora canta bem... mas a parte do rap parece desnecessária e colada à pressão.

1 ponto


Filipe Batista - De nada valeu a San Marino reformular o seu processo de seleção – no fim a canção escolhida, para além de má, parece também ter sido feita pelo Ralph Siegel, um senhor que está claramente parado no tempo. Ela não incomoda, não causa qualquer impacto, é só mais uma canção que vai ficar perdida na Semifinal. Para além disso, a parte do rap é muito dispensável e não faz qualquer sentido ali pelo meio. Espero que para o ano esta final nacional tão confusa dê melhores frutos.

2 pontos


Mónica Lourenço - Música que faz mexer, tem poder e efeito em quem a ouve, mas, apesar de gostar, não sei se chega para final... Até gosto da integração do rap na música, complementa, mas penso que ficaria melhor sem isso. Assim, faz lembrar uma música feminista, de revolução, talvez porque o rap tem esse poder de nos fazer identificar muito com as coisas e de nos sentirmos quase numa manif, tipo “oiçam isto e isto”. Preferiria sem o rap e acho que chegaria mais longe, com essa simplicidade, e com uma mensagem mais subtil. Mas posso sentir isto por não ser o meu tipo de música.

6 pontos


Nelson Costa - São Marino apostou, finalmente, numa final nacional que, apesar de ter muito pouco produto nacional, merece um ponto de destaque. Foi talvez a menos previsível final de todas as que foram realizadas para a Eurovisão 2018! “Who we are” não é nenhuma obra-prima, é uma canção radio friendly como há várias, mas consegue ser a melhor participação de sempre deste país. Sou até fã desta canção! A parte do rap era escusada mas eu gosto do refrão e acabo por cantarolá-lo também. Não tenho a certeza, contudo, se conseguirá chegar à final de Lisboa. 

7 pontos


Pedro Caramba - Outra proposta muito fraca por parte de São Marino este ano. Não consigo gostar nada desta canção. Mas alguém têm que ficar em ultimo.

1 ponto


Total: 100 pontos

2 comentário(s):

  1. Olh'ó robot. O boneco é a coisa mais engraçada nesta apresentação. Dou 1 ponto, porque enquanto olho pr'ó boneco não me apercebo de mais nada.

    ResponderEliminar
  2. São Marino não encontra uma boa candidatura para fazer-se ver na Europa. Temo infelizmente que está será a última vez que São Marino participa na eurovisão... uma pena porque este ano o novo projecto 1in360 prometía muito para o pequeno estado com o seu excelente sistema de encontrar na Europa a candidatura prefeita. Foram os propios júris que matarão as candidaturas sobretudo pela insistência de misturar o Rap em todas as canções que se apresentavam a concurso. Tinham boas candidaturas vindas da Alemanha de Malta entre outra. De destacar que com o italiano como idioma que sempre é favorável ao ouvido apenas aceitarão a concurso uma canção em italiano. De referir que a sua negação ao italiano é prejudicial ao estado de São Marino. Jenifer estraga a canção de Jessika pelo Rap que como disse anteriormente foi imposto pelos júris do concurso. É o meu posto 36 por culpa dos júris. 2 pontos. E o desejo de que dêem uma oportunidade mais ao projecto 1in360. Sorte São Marino. Se chegam á final então voltarão no ano que vem mas se não passam fica por aqui a história de São Marino no festival da Eurovisão.

    ResponderEliminar

Especiais em Destaque

 
Top