Rússia
Intérprete(s): Sergey Lazarev
Tema: Scream



Carlos Carvalho - Era o grande candidato à vitória aquando da divulgação do seu retorno à Eurovisão, até ao momento em que a canção foi divulgada e muitas expectativas foram defraudadas. Contudo, Sergey não está fora da corrida para a vitória, e “Scream”, mais do que ser um tema pensado para se tornar num sucesso comercial, foi concebido para um palco. O mesmo é dizer que devemos estar preparados para extravagâncias visuais, que não só deverão estar coadunadas com o espírito da canção como ainda vão conseguir elevar o apreço por este tema que em termos auditivos parece ser a canção principal de uma banda sonora de um filme de contornos épicos. A linha que vai separar o epopeico e inesquecível do exagerado e ridículo vai ser ténue, mas Sergey sabe ao que vai e a vitória é uma possibilidade bastante verosímil, sendo que toda a expectativa inicialmente gerada vai ser amplamente justificada. 

6 pontos

Cláudio Guerreiro - Como grande fã da canção deste cantor em 2016 e da maioria do seu reportório, fiquei bastante contente quando foi confirmado como representante da Rússia novamente. Depois de dois anos a desconsiderar um pouco o concurso, sabe bem voltar a ver a Rússia a levar isto a sério. Quando ouvi esta “Scream” pela primeira vez não me arrebatou completamente e fiquei com a sensação que não era uma canção que encaixaria bem no Sergey, já que nunca o vi como cantor para este tipo de power ballads. Contudo, aos poucos tem crescido em mim e começo realmente a sentir o poder do instrumental, principalmente na parte final. Adivinha-se um regresso da Rússia ao top 10, certamente. Só uma catástrofe a nível vocal - algo que não me parece que aconteça, tendo em conta as mais recentes interpretações ao vivo do cantor - o poderá afastar de um bom resultado.

8 pontos

Daniel Fidalgo - “SCREAM”, a canção mais aguardada desta temporada eurovisiva, é teatral e dramática. Um tema que só faz sentido ao vivo e que grita por uma apresentação épica. Na realidade, o tema só por si, não me diz nada. Todo o dramatismos e exagero na produção culmina num vazio e em algo pouco memorável. O Sergey canta bem, embora não seja o meu timbre predileto. Acredito que alcance a final, mas deverá estar afastado da vitória. (5 pontos)

5 pontos

Hugo Sepúlveda - Sergey Lazarev está de volta e o hype foi bem forte! Em 2016 Sergey ganhou o televoto e este ano mantém uma probabilidade de ter um lugar no pódio, embora não ache que o vencerá o televoto desta vez. Este ano a luta é pelo troféu no júri e Scream é a música ideal para isso. Apesar de o hype ter esmorecido um pouco depois da revelação da música, é certo que a Rússia não vai facilitar as coisas. Scream é uma música teatral e épica, dando hipótese ao Sergey de dar um show off vocal. Há dúvidas que ele manterá o registo da versão estúdio, mas não creio que vá vacilar. Quanto à atuação, não vai ser menos do que épica. Será o novo Dima Bilan? Não sei, mas Sergey vai dar luta a Duncan e Luca e até a outros dark horse que possam surgir do nada. A mim, a música ainda não me convenceu totalmente, falta aqui qualquer coisa.

7 pontos

Luís Custódio - A Rússia regressa a mais um certame eurovisivo, e regressa com tudo: intérprete (o sempre adorado Sergey Lazarev), uma música apoteótica e em crescendo, e pela espreitadela nas redes sociais, o "stagging" e a preparação de Sergey estão ao rubro. Há muitos detratores desta seleção russa mas a Rússia não costuma brincar em serviço e quando querem, dão 'show'. É uma "power balad" com algumas semelhanças de estilo em relação à canção da Holanda pelo que se o objetivo é a de que ganhe a melhor... pode acontecer que se anulem ambas na final. Mas isso só no dia 18 de maio se saberá.

7 pontos

Patrícia Gargaté - Goste-se ou não temos aqui uma proposta de qualidade. O Sergey Lazarev chegou para dizer que consegue ser mais do que uma máquina pop e penso que não havia melhor forma de o dizer. Honestamente espero que não montem uma novela em palco, às vezes menos é mais. Confio perfeitamente na capacidade da equipa e no poder vocal do Sergey. Não me parece que seja uma canção para vencer mas pode surpreender, especialmente a comunidade de fãs que meio que desvaloriza e tira mérito de forma constante, não só ao Sergey como a todas as canções que este país envia.

10 pontos

Paulo Lima - “Scream” é uma poderosa balada de sonoridade moderna e excelente produção técnica, potencializada na extraordinária harmonia vocal. Conduz-nos numa empolgante viagem ao mundo emocional do sofrimento, ao animismo das palavras, das lágrimas que caem e se ouvem gritar. É receita tradicional certa para o sucesso, de equipa internacional e multidisciplinar. Reconheço a qualidade da proposta e gosto muito da sua progressão épica com impactante refrão, que inclui pausa de fazer cortar a respiração. A canção é envolvente e emocional, sendo das minhas favoritas. Finalista talhada para o top 5, mas sem prognóstico de vitória. 

12 pontos

Ricardo Matias - Sergey Lazarev a pedir desforra pelo 2º lugar de 2016. Admito que gosto muito do crescendo existente no primeiro minuto, que está bem conseguido, e o 1º refrão destaca-se imenso e é impactante com a voz excecional do cantor russo. Espera-se uma performance também impactante como em 2016. O meu receio com esta canção épica (se bem que o final deixa muito a desejar) é que seja de tal forma impactante que soe demasiado over-produced. Vai sem dúvida chegar à final e espero um TOP5, mas tenho as minhas dúvidas se vencerá.

8 pontos

Tomás Nabais - De volta aos palcos do ESC, Sergey envereda por outro estilo musical: a balada, em vez do pop dançável de 2016, lutando desta vez por uma vitória. Boa canção: com um toque de mistério, que nos vai fazer agarrar ao ecrã, envolvente e um instrumental poderoso. A voz do intérprete: segura e sem falhas faz jus ao tema. Será que a Rússia grita por vitória? Tudo depende da atuação, mas os russos nesse aspeto não brincam em serviço.

7 pontos

Total dos 35 comentadores: 264 pontos
Ver pontuações na íntegra AQUI

3 comentário(s):

  1. Sergey Lazarev retorna à Eurovisão com mais uma canção romântica no seu estilo habitual, em que nos lembra a sua voz aveludada, sem graves, com alguma amplitude. Apesar de não deslumbrar é um trabalho que merece atenção. Não noto uma grande diferença tanto no aspeto harmónico como no valor lírico em relação à sua passagem anterior por este certame e por isso vou dar 7 pontos.

    ResponderEliminar
  2. Porque nao mostram os pontos dados por cada um?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por baixo do Total dos 35 comentadores diz Ver pontuações na íntegra (onde eu me incluo, letra K) AQUI.

      Eliminar

Especiais em Destaque

 
Top