Lituânia
Intérprete(s): Jurij Veklenko
Tema: Run With The Lions



Carlos Carvalho - Vamos começar pelo final? Aqui está uma das canções que vamos ver e ouvir na noite de 18 de maio, na Eurovisão. Embora inicialmente possa parecer que a proposta lituana joga no vasto campo de produções contemporâneas e homogéneas tal como muitas outras a concurso, “Run with the lions” não descura um elemento primordial para a captação de votos, o refrão, marcando uma ligeira (?) diferença em relação a muitos dos seus adversários. Refrão simples, porém vincado com versos banhados ao som de um electro pop em registo laid back e bastante agradável. Um trabalho final que dimana com assinalável naturalidade e que agradará a um espectro muito mais vasto do que a aquele que as apostas e votações das várias OGAEs dão a entender. Jurij Veklenko, o intérprete, tem um timbre bastante agradável e a sua imagem cuidada vai também jogar a seu favor nesta euroVISÃO.

8 pontos

Cláudio Guerreiro - A Lituânia traz-nos este ano uma proposta com uma sonoridade bastante contemporânea. Se no início até me soou bem, rapidamente se foi tornando aquela canção que enjoamos facilmente. O que até pode ser bom para eles, visto que a maioria do público vai votar depois de ouvir as músicas pela primeira vez. Além disso, também sinto que o refrão também poderia ser mais forte. Está longe de estar no topo das minhas preferências e passaria bem sem ter de a ouvir novamente na final.

3 pontos

Daniel Fidalgo - “Run With the Lions” é um dos temas mais esquecíveis do ano. Uma canção pop desinteressante, ouvida vezes sem fim e que falha na criação de uma conexão com o ouvinte. Tanto a produção como a mensagem partilham do mesmo nível de desinteresse, apesar de não serem más de todo. Jurijus também não é um grande cantor ou intérprete. Espero que a Lituânia fique pela semifinal e que não roube um lugar a quem merece realmente estar na final. 

3 pontos

Hugo Sepúlveda - Run With The Lions não é necessariamente a pior coisa que já se ouviu na Eurovisão. Tem aqui algumas pontas por onde se pode pegar, é agradável e tal… mas tem um grande problema: é simplesmente esquecível! Lembramo-nos que está a concurso quando a ouvimos e nem a semifinal nem o lugar de atuação ajudam muito. Não creio que tenha grandes hipóteses de chegar à final. De facto, Jurij está a correr com os leões, pena é ele ser um antílope. 

3 pontos

Luís Custódio - Declaração de intenções: por norma gosto bastante das seleções lituanas, a começar com a do ano  passado - como não amar a música "When We're old"? Assim, esta música de Jurij Veklenko  sabe a pouco, bem sabendo que este tinha a árdua tarefa de preencher o vazio deixado pela sua  antecessora. Destaca-se apenas a tentativa de incluir o público na música com aquele 'Come on, Come on' do refrão, mas a canção fica-se por uma interpretação que se esquece rapidamente. Dá vontade de dizer 'thank you, next', mas só porque Jurij não fica nada mal na televisão…! Ainda assim, a música não vai ficar para a história do certame.

1 ponto

Patrícia Gargaté - Temos aqui um dos meus "ódios de estimação" do ano. É cliché, é esquecível, banal... enfim, por aqui podia continuar mas acho que vocês já perceberam a ideia. O refrão é orelhudo e por isso acredito que possa cativar algum público, dada a sua vertente genérica. Por mim não faz falta na final pois não acrescenta nada ao concurso. 

4 pontos

Paulo Lima - “Run with the lions” é produzida eximiamente e tem a originalidade de nos fazer sentir a noção de liberdade por analogia à vida selvagem. A forma como progride potencializa a sonoridade impactante da voz de Jurij Veklenko, que demonstra elevada qualidade vocal e execução exemplar. O seu timbre que aprecio muito e a progressão arrepiante da sua interpretação fazem com que a proposta lituana nos envolva na sua harmonia e se eleve em nós, fazendo-nos balançar ao seu ritmo. Ótima presença em palco. Agrada-me e vejo-a finalista, no top 15/20.

8 pontos

Ricardo Matias - Uma aposta moderna por parte deste país em 2019. É uma canção que facilmente se ouve nas rádios, e tem potencialidade para se destacar na semifinal em que se apresenta, pela produção, musicalidade e pelo ar moderno que apresenta. Contudo, peca por ser mais uma balada no meio de um oceano de baladas na semifinal. Acho que vai depender da performance e da emoção que é transmitida para o público e na TV, sendo que para já no meu ponto de vista não passa para já à final.

8 pontos

Tomás Nabais - Aquilo que gosto da canção da Lituânia é a melodia: pop ritmado, moderna e um refrão um pouco catchy. Agora o ponto negativo deste tema é a voz do Jurij (um pouco audível e nada forte), pois penso que a canção exigia um intérprete com mais garra e segurança na voz, o que não acontece aqui. De resto pode muito bem agradar ao televoto, mas não reunir as preferências dos jurados.    

7 pontos

Total dos 35 comentadores: 177 pontos
Ver pontuações na íntegra AQUI

1 comentário(s):

  1. A libertação está na ordem do dia e nesta cantiga da Lituânia essa liberdade que se deseja refere-se a um amor que se pretende livre, selvagem, sem grilhões, dando logo o rei da selva como a grande referência. Jurij Veklenko tem muito charme, um factor que joga a seu favor, mas a música por ser um pouco monótona é que vem ofuscar um pouco esse seu brilho. A letra é banal, não tem espinhas nenhumas e não obriga a pensar. Dou 4 pontos.

    ResponderEliminar

Especiais em Destaque

 
Top