Polónia
Intérprete(s): Tulia
Tema: Fire of Love (Pali się)



Carlos Carvalho - Enquanto se esforça por voltar a oferecer o unânime carimbo de qualidade que as suas primeiras propostas tiveram na Eurovisão, a Polónia arrisca e resolve mostrar à Europa um dos seus mais fervilhantes grupos da actualidade, o folk peculiar das não menos atípicas Tulia. Se nos lembrarmos que o quarteto de beleza polaca se deu a conhecer com uma versão de “Enjoy the Silence” dos Depeche Mode, é perfeitamente inútil estar à espera de um anímico folk que muitas teima em parecer na Eurovisão, apenas porque supostamente parece bem ter sons étnicos apenas por ter. "Fire of Love (Pali się)" é artítica e conceptualmente desafiante, e perante a impossibilidade de uma definição instantânea, o primeiro impacto poderá parecer um cruzamento entre The White Stripes e t.A.Tu..  Sem dúvida alguma que, no próximos mês de maio, os olhos e os ouvidos vão prestar a atenção.

7 pontos

Cláudio Guerreiro - Apesar das cantoras desta proposta serem extremamente competentes ao nível de performance vocal e harmonias, o timbre delas acaba por soar um pouco irritante. No entanto, pelas atuações ao vivo, já parece menos. Este é aquele caso em que, com outras vozes, teria potencial para estar mais acima no meu gosto. Contudo, acho que tem todos os ingredientes para se destacar em maio, mesmo sendo uma das canções de que gosto menos este ano. Quase de certeza que lhes espera um bom resultado no televoto.

1 ponto

Daniel Fidalgo - “Fire of Love (Pali Się)” é um pop rock alternativo que me faz lembrar alguns temas dos The Killers. A produção envolve ainda sonoridades étnicas, o que torna a canção ainda mais impactante. Uma aposta arrojada que irá dividir opiniões, acompanhada por uma mensagem intrigante e que parece ter mais significado do que aparenta. Será um momento de destaque na primeira semifinal e, como tal, poderá alcançar a final e surpreender nos resultados. 

10 pontos

Hugo Sepúlveda - Polónia este ano assenta no grupo dos meus mixed feelings do ano. Como um todo, Fire of Love (Pali Się) é um rock mais experimental e folk. Tem partes que gosto e me convencem… Mas depois tem partes que me parecem chatas e confusas. O que mais gosto é por fugirem às sonoridades mais “comerciais” e fáceis e apostarem em algo mais arrojado. Pode correr mal, pode, mas ao menos é algo inesquecível. Quer gostemos, quer não, reconhecemos imediatamente a entrada polaca deste ano. Não descarto totalmente a Polónia na final, creio que ainda podem surpreender.

4 pontos

Luís Custódio - É uma aposta no feminino como vem sendo aliás constante com as seleções musicais da Polónia. Numa primeira audição, as vozes conjugadas no que parece uma espécie de cântico ao luar e à roda da fogueira poderão não resultar no resultado global, pois há um som agudo que perpassa a musica que não apela a todos os ouvidos e que deverá ser difícil de assimilar pelo público e, arrisco dizer, pelo júri, logo na primeira entoação. É uma espécie de música inserida num ambiente 'folk' e de promoção de cultura eslava, mas este estilo ‘folk’ só resulta se for bem ensaiado. Esperemos que seja o caso da Polónia, senão bem podem dizer ‘bye bye’ à Final.

2 pontos

Patrícia Gargaté - Para quem não entende o que o grupo está a cantar, este quase que parece um tema infantil. É estranho ao olhar e acredito que esta canção perca muito na performance ao vivo, ainda assim estou à espera de uma surpresa que me faça calar a boca. Infelizmente não consigo ver esta canção no lote das finalistas... mas quem sabe. Pontos positivos para o instrumental, pontos negativos para o conjunto de vozes que não me soa nada harmonioso.  

3 pontos

Paulo Lima - “Palie Sie”, é uma canção de raiz folclórica, com potentes arranjos modernos. Cantada em uníssono pelo grupo Tulia, ao jeito de vocal ensemble, torna-se original no contexto eurovisivo, evidencia competência vocal, extraordinária harmonia e parece querer promover a partilha e a compreensão cultural (por ser próxima do conceito “World Music”). É do meu agrado, fazendo-me o grupo Tulia evocar o trio Bulgarka, popular nos anos 80. É impactante, mas pode fazer destacar alguma monotonia. Penso que será finalista e prevejo-lhe uma classificação entre o 12º e o 15º lugar. 

7 pontos

Ricardo Matias - A canção mais tradicional apresentada este ano na Eurovisão. E o modernismo que as Tulia apresentam, admito, faz-me sorrir quando chega ao refrão, sem parecer antiquado ou absurdo. Acredito que os júris irão pontuar bastante esta canção, tendo sérias dúvidas quanto à pontuação do público. Contudo, acredito que a Polónia seja uma das finalistas este ano, pelo tradicionalismo e características do país apresentados (e que a Eurovisão necessita).

10 pontos

Tomás Nabais - Do dance de 2018 (lembram-se de “Light Me Up”?) para o folk rock, a Polónia traz-nos, a meu ver, uma aposta arriscada, pois o tema “Fire of Love (Pali się) ”, sendo muito étnico, cantado na língua nativa e com um toque western da guitarra a meio da canção, pode cair nas graças do público ou cair no esquecimento por parte de uns júris mais exigentes. Ponto negativo: a voz estridente das cantoras que pode causar um certo desconforto e monotonia à canção.

6 pontos

Total dos 35 comentadores: 170 pontos
Ver pontuações na íntegra AQUI

1 comentário(s):

  1. São 4 moçoilas com trajes tradicionais vistosos, muito coloridos, que formam um grupo de vozes muito homogéneas a cantarolar, como que em sentido, uma composição folk, que pràticamente dispensa instrumentalização. Não se pode dizer que vieram meter-se na boca do lobo, com tantas músicas com bons arranjos instrumentais, umas dançáveis e muito ritmadas e outras estilo balada muito bem formatadas. É apenas mais uma resposta ao apelo de quem preconiza a variedade como uma forma de satisfazer todos os gostos musicais. Não sou um amante desta música mas não me quero fazer de difícil e vou presentear este apresentável grupo feminino com 6 pontos.

    ResponderEliminar

Especiais em Destaque

 
Top