Holanda
Intérprete(s): Trijntje Oosterhuis
Tema: 'Walk Along'




Aáron García-Álvarez - Uma fantástica aposta a dos Países Baixos com esta música que poderia perfeitamente ter o passaporte para a grande final. A conjugação melodia/poema e voz é quase perfeita, só falta ver a resposta da audiência europeia.

8 pontos

Carlos Coelho - A Holanda segue os passos seguros de 2013 e 2014: bom “groove”, boa canção, boa letra, excelente intérprete. Só que a Eurovisão é um espectáculo de TV e a idade e a telegenia da intérprete não a ajudam, como ajudaram os seus antecessores. Já há muitos anos que se falava de Trijntje Oosterhuis para representar a Holanda, mas penso que chegou à Eurovisão com 10 anos de atraso. Infelizmente, e apesar da qualidade, não sei será suficiente para passar à final.

8 pontos

Eurico Alves - Depois de 2 anos a surpreender, a Holanda volta a um estilo demasiado morno, mas fica no ouvido principalmente pelo timbre da cantora. É muito provável que se perca no meio de tantas outras, mas as outras também não são grande coisa... Por isso, ainda se arrisca a passar à final.

3 pontos

Fabiana Silva - 16 ai-ai-ai’s não é um pouco demais ? Nos primeiros eu já quero mudar de música! “Walk along” tem potencial em sua melodia, mas a letra é muito banal e não foi escrita para ser cantada por uma mulher acima dos 40 – é uma letra bem adolescente, que me remete àquelas paixões de colégio. Trijntje fará um bom show para o público e pode até conseguir a última vaga para a final, mas a Holanda está aquém do que foi nos últimos dois anos

4 pontos

Fernanda Ribeiro - Uma melodia que entra desde a primeira nota, uma voz bem encaixada, num estilo pop ultra-clássico. Repete demasiadas vezes o refrão, numa fórmula sem grande originalidade porque já todos ouvimos este género demasiadas vezes, em muitos locais. Não terá grandes pretensões, porque não somos transportados a nada diferente, que nos arrebate.  

6 pontos

Gonçalo Vieira - A canção da Holanda deste ano mostra a potencialidade deste país em inovar. Após duas excelentes canções, este ano, a Holanda aposta numa canção com uma vertente mais comercial. “Walk Along” é no seu todo uma composição que fica na cabeça. O refrão é muito marcante, embora algo repetitivo com o “ai-ai-ai”. Ainda assim, com uma boa atuação em palco por parte da Trijntje, o país poderá realmente mostrar o potencial desta canção, podendo mesmo ser uma surpresa. Simples, mas eficaz, diria eu! 

8 pontos

João Diogo - Quando soube que seria a Anouk a compositora deste tema, as minhas expectativas subiram em flecha (foi o meu tema favorito do ESC2013 e gosto de muitos temas dela) e não saíram defraudadas. Tem boa onda, é extremamente catchy e fica facilmente na memória, mesmo para quem o vai ouvir apenas uma ou duas vezes. A apresentação em palco deve ser simples como nos dois anos anteriores.

12 pontos

Patrícia Gargaté - Há sempre algumas músicas com as quais “embirro”, calhou esta este ano. Não é uma má canção mas acho-a kinda annoying. Se ficasse pela semi-final não me fazia falta na final… não por falta de qualidade, simplesmente porque me passa ao lado. Agora se merece ou não… talvez merecesse. 

4 pontos

Paulo Morais - E depois de um pé na vitória na última edição, a aposta volta a valorizar a experiência do cantor e eis que chegou a vez de uma amiga da Anouk. Trijntje Oosterhuis tenta encantar a Europa com a sua “Walk Along”, mas será que vai levar o seu país novamente ao pódio? Não me parece, a canção fica no ouvido, tem ritmo, é bem cantada, vai passar à Final, mas não vai lutar pela vitória…

8 pontos

Rui Ramos - A Holanda, mais uma vez, mostra que quer resultados, quer a final e vencer num futuro próximo! E nada melhor que, depois de uma clássica Anouk e de uns cúmplices The Common Linnets, uma alegre Trijntje que de tantos 'walk along' e 'ai ai ai ai' levará o país a mais um Top 10.

10 pontos

Total: 71 pontos



Atenção: Os textos da Fabiana Silva encontram-se em português do Brasil dada a origem da comentadora.

5 comentário(s):

  1. Não desgosto..embora o aí aí aí chateie um pouco...27 no meu top...

    ResponderEliminar
  2. Demasiados wai, ai, ai, ai para o meu gosto, mas dada a qualidade da semifinal é uma das minhas escolhas para passar à final, mas para ficar na 2ª metade da tabela. O som "catchy" pode valer muitos votos.

    Pontuação: 5 pontos

    ResponderEliminar
  3. Walk Along é uma música pop com um refrão forte, uma performance vocal potente (em especial ao vivo), uma melodia empolgante e esse ai ai ai ai que fica impossível de tirar da cabeça são os pontos mais fortes da candidatura holandesa. Não podemos negar nem esquecer da experiência e da versatilidade da Tri, coisa que é um ponto a favor se houver certeza de como explorá-lo.

    Porem, claro, também há alguns pontos fracos. O refrão de Walk Along chega aos 30 segundos, e o resto da música acontece igual à primeira parte, sem novidade nenhuma. Isso deixa boa parte da música soando repetitiva, como se fosse somente para completar três minutos de duração.

    Pelo terceiro ano consecutivo, a Holanda está no grupo de músicas que têm muitas chances de passar para a grande final. Isso é um mérito enorme, se consideramos que há só três anos eles eram o pais piada do festival. A sequência de excelentes resultados conseguida com Anouk e The Common Linnets não fez a AVRO/TROS pensar que já podia relaxar e mandar qualquer coisa (né, RTP 2011?). Mais uma vez, eles confiam a tarefa a uma artista de renome no país, que vem com uma música de qualidade.

    A dificuldade maior para a Holanda vai ser a apresentação. Uma música que pode soar repetitiva precisa de um palco que não transmita ao público que a canção é interminável. Caso eles resolvam essa questão, a Holanda tem grandes chances de até terminar num bom lugar na final.

    8 pontos

    ResponderEliminar
  4. Uma intérprete vocalmente forte e segura; há aspectos interessantes na melodia mas, também, uma repetição exagerada dos "why-why-why...", o que, na minha óptica, prejudica esta proposta. 5 pontos.

    ResponderEliminar

Especiais em Destaque

 
Top