Bélgica
Intérprete(s): Loïc Nottet
Tema: 'Rhythm Inside'




Aáron García-Álvarez - A Bélgica aposta numa mistura pouco chamativa, com um refrão que poderia ser fácil de decorar. Contudo, tem um ritmo melódico que acabará por passar por despercebido com facilidade...

2 pontos

Carlos Coelho - Proposta interessante, mas acho que estes autores ouviram “Royals”, da Lorde, e “We Will Rock You” dos Queen, em loop e demasiadas vezes. Bom cantor, que interpreta e vende da melhor forma uma canção indistintiva, mas com um toque moderno. A Eurovisão não é um sítio fácil para os Belgas, mas se o júri ajudar, podem passar pelos pingos da chuva até à final. 

5 pontos

Eurico Alves - Gosto do conceito desta canção e de arriscar em algo pouco usual. Infelizmente o ESC não se preza muito a inovações de bom gosto, por isso não lhe adivinho um grande futuro na competição. É uma pena…

5 pontos

Fabiana Silva - Minha maior surpresa. Quando da escolha de Loïc, imaginei que teríamos algo mais pro estilo Roberto Bellarosa, musicalmente e vocalmente falando – graças a Deus estava errada! Loïc foi muito bem ao vivo e a canção é ótima, bem diferente do que se espera de canções eurovisivas! Acho que os belgas terão um bom resultado em Viena e será merecido. 

10 pontos

Fernanda Ribeiro - Trata-se de certeza de uma música com efeito “bipolar”: uns adorarão, outros odiarão. Enquadro-me no grupo dos que gostam. Os olhos do cantor parecem que abarcam o mundo com tanta expressividade quando interpreta esta música, muitíssimo influenciada pelos sons das músicas da cantora neo-zelandesa Lorde. Estou convencida que poderá conquistar muitos adeptos. 

7 pontos

Gonçalo Vieira - Após duas desilusões, vem uma surpresa! A Bélgica surpreendeu-me nesta sua escolha, que no mínimo vem revolucionar o que é ouvido na maioria das vezes no ESC. “Rythim Inside” remete-nos à identidade da famosa cantora neozelandesa, Lorde. O Loïc tem um timbre vocal diferente, diria eu efeminado, mas que mesmo assim é muito competente e sempre é diferente. Pelo que já foi possível ouvir, o cantor ao vivo ainda é melhor, sendo que para Viena espero algo de positivo para esta canção. Quem sabe se não teremos a Bélgica como o “dark-horse” desta edição do ESC? 

8 pontos

João Diogo - Influências de Lorde all over e podia perfeitamente fazer parte de um álbum desta cantora pois tem qualidade para isso. Esta característica pode ser o pior e o melhor desta música, pode beneficiar ou prejudicar as esperanças belgas. Pessoalmente gosto! É diferente, ganha com isso, e o Loïc já mostrou que canta bastante bem. 

8 pontos

Patrícia Gargaté -  Como costumo dizer por aí, é pena não ser da Suécia. Acho que não preciso explicar o que disse. Há um par de países que levam boas músicas mas não os vejo a terem sucesso, não pela qualidade mas pelo país que representam. Infelizmente, funciona um pouco assim e não é só com Rússias e afins. Espero sinceramente que esta música passe à final, se não conseguir ficar pelo menos no top 10. Invejosos vão dizer que é Lorde apenas pelos primeiros segundos. 

10 pontos

Paulo Morais - A canção está bem pensada, é moderna, o jovem Loïc até canta bem, mas passa-me ao lado, não me desperta nada, parece que vai em câmara lenta e nunca chega lá… e a apresentação da canção na rádio foi uma coisinha tacanha. Um regresso antecipado a Bruxelas não é de todo impossível, nem sei se ficaria triste… 

5 pontos

Rui Ramos - E eis que veremos um R&B no palco eurovisivo. Música de qualidade alienada a um Loïc que contagia... e muito bem suportado pelo coro! Na minha opinião a Bélgica regressa ao top 10.

8 pontos

Total: 68 pontos

Atenção: Os textos da Fabiana Silva encontram-se em português do Brasil dada a origem da comentadora.

7 comentário(s):

  1. Concordo com o Carlos Coelho, parece-me muito royals - lorde...só pela falta de originalidade 37 no meu top...

    ResponderEliminar
  2. Que júri mais exigente, por amor de Deus. Não sabem avaliar nada de jeito, é só disparates. Vamos ver quantas músicas vão ter mais que 100 pontos...
    Será que custa muito a perceber que a qualidade das músicas este ano está, no geral, relativamente alta?

    ResponderEliminar
  3. Mais uma música que não faz de todo o meu estilo, contudo tenho que assumir que é uma proposta diferente das outras. Passará à final? É incerto, pois trata-se da Bélgica, mas se fosse da Suécia ou da Rússia era certo. Vai depender muito da sua prestação, mas acima de tudo, de não ser "abafada" pelos outros países.

    Pontuação: 4 pontos

    ResponderEliminar
  4. A princípio não gostei muito deste tema, talvez culpa do vídeo, espero que não seja mais um a tomar banho no palco. Mas o miúdo até parece dar conta do recado. Não costumo apreciar este ritmo demasiado lento, no entanto este intérprete dá mostras de gostar do que faz e entregou-se por inteiro à concretização do seu projeto, que eu desejo lhe proporcione a merecida recompensa que passará em primeiro lugar por colocá-lo na final. A minha pontuação: 8 pontos.

    ResponderEliminar
  5. BÉLGICA: Uma proposta que prima pela originalidade (no universo ESC) e vocalmente bem entregue. Gosto da sonoridade embora não me entusiasme sobremaneira. Como tal: 6 pontos.

    ResponderEliminar
  6. Rhythm Inside é ousada, é diferente, alternativa, algo bem distinto do que costumamos ouvir na Eurovisão, contudo é uma música que em sua primeira audição é difícil de processar e digerir direito... Mas gosto!

    É melhor o Loic se preparar para trazer algo criativo e muito marcante para sua performance, ou Rhythm Inside não irá trazer o ritmo, nem os belgas de volta a final da Eurovisão.

    7 pontos

    ResponderEliminar

Especiais em Destaque

 
Top